22 de março de 2017

Produtora

A empresa iniciou em 1975 com o nome Acauã, produzindo o longa-metragem Trem Fantasma de Alain Fresnot. Em 1981, com novos sócios e o nome de Tatu Filmes, marcou época no cinema paulista, realizando os longas-metragens Janete (conquistou o prêmio de Melhor Montagem no Festival de Gramado 1983), de Chico Botelho, Marvada Carne, de André Klotzel (Semaine de la Critique, Cannes 1985 e Melhor montagem no Festival de Gramado 1985), além de curtas, médias-metragens e filmes publicitários.

Em 1988, já como A. F. Cinema, a produtora lança Lua Cheia, de Alain Fresnot, Melhor Filme no Rio Cine Festival de 1989 e no Festival de Curitiba 1988.

Em 1997, com a retomada do cinema brasileiro, a produtora lança Ed Mort, de Alain Fresnot. Com Paulo Betti, Cláudia Abreu e Chico Buarque entre outros, o filme recebe o Prêmio HBO do Cinema Brasileiro, além dos prêmios de Melhor Direção; Melhor Ator; Melhor Atriz; Melhor Ator Coadjuvante; Melhor Atriz Coadjuvante; Melhor Montagem; Melhor Fotografia do Festival de Salvador 1997

Em 1998, Kenoma, de Eliane Caffé, participa da Mostra Internacional de Veneza, e ganha o Soleil d’Or de Melhor Filme no Festival de Biarritz de 98, além dos prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Fotografia no Festival de Gàva (Barcelona) e de Melhor Ator, Melhor Direção de Arte e Melhor Letreiros do Festival de Brasília 1998.

Em 2000, lança Castelo Rá Tim Bum, o Filme, de Cao Hamburger, em parceria com a Columbia Tristar do Brasil, vencedor dos prêmios de Melhor Filme Internacional no Festival Internacional de Filmes de Chicago e Melhor Filme no Festival de Toronto para Crianças. No mesmo ano, lança Através da Janela, de Tata Amaral, vencedor dos prêmios de Melhor Filme, Melhor Roteiro e Melhor Atriz para Laura Cardoso no Festival de Miami, além de Menção Honrosa no Festival da Índia.

Em 2004, Desmundo de Alain Fresnot, é lançado e a distribuição realizada em parceria com a Columbia Tristar Filmes do Brasil. Vencedor dos prêmios: Prêmio ABC 2004: Melhor Direção de Arte; Melhor Fotografia; FesTróia – Festival Internacional de Cinema de Tróia 2003 (Portugal): Melhor Fotografia; Festival do Cinema Brasileiro na França 2004: Melhor Filme Longa-metragem; Prêmio APCA 2003: Melhor Atriz; Festival de Brasília 2002: Melhor Atriz Coadjuvante; Prêmo TAM do Cinema Brasileiro 2004: Melhor Direção de Arte; Melhor Figurino; Melhor Maquiagem

Em 2009, produz Família Vende Tudo de Alain Fresnot, com Lima Duarte, Vera Holtz, Caco Ciocler, Marisol Ribeiro e Luana Piovani, vencedor dos prêmios de Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Direção de Arte no Festival Cine PE.

Em 2012 lança Raul – O Inicio, o Fim e o Meio documentário sobre a vida do artista Raul Seixas em parceria com a Paramount Pictures, que conquistou os prêmios de Melhor Documentário da 35ª Mostra Internacional de São Paulo, do 7º Prêmio Contigo! de 7 Cinema Nacional e do voto popular, e de Melhor Diretor de Documentário pela 3ª Cine Fest Brasil Montevideo.

Este ano a A.F.Cinema realizou a comédia francesa Babysitting 2 em regime de “Production Service” para a empresa francesa AXEL na cidade de Itacaré, Bahia. Atualmente A.F. Cinema finaliza seu último filme Uma Noite Não é Nada, longa-metragem de ficção com Paulo Betti e Cláudia Mello, em fase de pós-produção com lançamento previsto para segundo semestre e 2017. Também finaliza o documentário “Pérolas a Poucos”, sobre o músico Arrigo Barnabé. Os novos projetos em vista sãos longas de ficção “Perdeu, Mano!”, “Vudu Delivery” e “Corfu”.

EQUIPE
___
  • Alain Fresnot

    Francês, graduado em Cinema pela Universidade de São Paulo (USP), ex- presidente da Comissão Estadual de Cinema, ex- presidente da Associação Paulista de Cineastas APACI e Membro do Conselho Superior de Cinema. Desde 1975, Alain abriu sua própria produtora com o nome Acauã, que posteriormente recebeu o atual nome de A.F. Cinema e Vídeo. Possuindo um currículo com mais de 10 filmes produzidos no cenário nacional, o diretor trabalha em seu próximo longa-metragem, Uma Noite Não é Nada, com Fernanda Montenegro e Lima Duarte. Principais filmes: Lua cheia, Ed Mort, Desmundo, Família vende tudo, Uma noite não é nada (em pós-produção).

  • Carlos Meceni

    Iniciou no Teatro de Arena de São Paulo na década de 70, em espetáculos como “Arena Conta Zumbi” e “Arena Conta Tiradentes” (papel título). Tem mais de 100 espetáculos como ator, diretor ou autor. Construiu 3 teatros na cidade de São Paulo, foi fundador da Cooperativa Paulista de Teatro, presidente da APTIJ, Apetesp e do Canal Comunitário de Televisão e ganhou cerca de 40 prêmios na área (3 Molliere, 3 APCA, 4 Prêmio Governador do Estado, Mambembe, INACEM, Sharp e Apetesp, entre outros. Já participou como ator em 25 filmes (com prêmios internacionais), 19 novelas e algumas séries para TV por assinatura, como F.D.P., produzido pela Pródigo para a HBO.

  • Lili Bandeira

    Eliane ( Lili ) Bandeira é formada em Cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (1978). Estudou no Centro Sperimentale de Cinematografia, em Roma onde se especializou em produção e direção (biênio 1978 / 80). Principais produções: UMA NOITE EM SAMPA (de Ugo Giorgetti, 2016), AUSÊNCIA (de Chico Teixeira, 2014), CARA OU COROA (de Ugo Georgetti, 2011, A CASA DE ALICE (de Chico Teixeira, 2006) UMA VIDA EM SEGREDO (de Suzana Amaral, 2002), O PRÍNCIPE (de Ugo Giorgetti, 2002, A HORA DA ESTRELA (de Suzana Amaral , 1986)